1 - Dra. Jeanne, hoje se comemora o Dia Mundial da Amamentação. Gostaríamos de falar sobre a atuação do fisioterapeuta. Qual a importância desse profissional durante o período da amamentação?

Todo profissional que trabalha com gestantes deve se aprofundar na jornada de cuidados que a mulher precisa durante esse período. Muitas gestantes costumam buscar tratamentos fisioterapêuticos durante a gravidez para tratar alguma disfunção que costuma aparecer nessa fase. É aí que se abre uma ótima janela de oportunidade para o profissional fisioterapeuta auxiliá-las em como amamentar corretamente e quando buscar ajuda em alguma intercorrência que a impeça de amamentar.
Além de auxiliar as gestantes durante a gravidez o fisioterapeuta deve buscar conhecimentos para orientar as futuras mamães, com informações baseadas em evidências, ajudando-as a terem uma amamentação de sucesso.
O fisioterapeuta durante o período da amamentação atua tanto na orientação e prevenção, quanto no tratamento de determinadas patologias que podem surgir durante esse período, como, por exemplo, no tratamento de fissuras mamárias através da laserterapia.
Uma orientação e um tratamento adequado garantem uma amamentação tranquila e segura para a mãe e para o bebê.

2 – Como identificar a necessidade do fisioterapeuta no pós-parto imediato?

A mulher, nesta fase, necessita de suporte social, familiar e multiprofissional. O apoio do fisioterapeuta ajuda a mulher no estímulo a amamentação por livre demanda, ao retorno rápido às condições pré-gravídicas, na prevenção e tratamentos em incontinência urinária, alterações posturais, reeducação da musculatura de assoalho pélvico e retorno a atividade sexual após o resguardo.
No caso de qualquer dificuldade no retorno às atividades ou alteração musculoesquelética e de assoalho pélvico é importante que a mulher procure uma fisioterapeuta e faça uma avaliação.

3 – Quais os benefícios para a mãe e quais os benefícios para o bebê?

O leite materno é o alimento mais completo que um bebê pode receber desde o seu nascimento. A amamentação é um dos momentos mais importantes para aumentar o laço afetivo entre mãe e filho, com grandes vantagens para ambos.
O leite materno dado ao bebê após o parto faz o útero voltar ao tamanho normal mais rápido e diminui o sangramento, prevenindo a anemia materna e reduzindo o risco de câncer de mama e ovários. Além disso, acelera a perda de peso, evita a osteoporose e protege contra doenças cardiovasculares, como o infarto.
Para a criança, os ganhos são inúmeros. Protege contra doenças, previne a formação incorreta dos dentes e problemas na fala, proporciona melhor desenvolvimento e crescimento, além de ser um alimento completo, dispensando água ou outras comidas até os seis primeiros meses de vida do bebê. Bebês que mamam no peito têm menor propensão de serem adultos obesos e se beneficiam de:
• Maior contato com a mãe
• Melhora a digestão e minimiza as cólicas
• Desenvolve a inteligência
• Reduz o risco de doenças alérgicas
• Diminui as chances de desenvolver doença de Crohn e linfoma
• Previne contra doenças contagiosas, como a diarreia
É importante lembrar que o estímulo a amamentação deve ocorrer logo na primeira hora de vida do bebê, seja no parto normal ou na cesárea. Mesmo nas cesáreas, o bebê deve sugar na primeira hora de vida para acelerar a descida do leite, receber as defesas da mãe e fortalecer o vínculo entre os dois.

4 – E como é o trabalho do fisioterapeuta com bebês prematuros?

É classificado bebê prematuro aquele nascido antes de 37 semanas de idade gestacional.
O fisioterapeuta tem o papel fundamental de ajudar o bebê a se desenvolver normalmente, ajudar na sua organização global, ou seja, diagnosticar alterações no desenvolvimento neuropsicomotor, orientar os pais, humanizar o ambiente, proporcionar melhor qualidade de postura evitando os padrões anormais, possibilitando movimento e a percepção adequada à idade gestacional. Normalizar o tônus, prevenir deformidades e contraturas, reduzir o stress do ambiente, tornar curto o tempo de internamento e oferecer tratamento especializado em bebê com anormalidade neurológica.

A atuação do fisioterapeuta em bebês prematuros busca trabalhar a estimulação precoce para o equilíbrio e a harmonia no desenvolvimento motor dos bebês. Através de técnicas que promovem uma melhora funcional, desenvolvem a psicomotricidade, o controle motor e estimulam a relação entre o bebê a sua família.

5 – E esta é uma área de atuação crescente dentro da Fisioterapia?

Sim. O fisioterapeuta especialista em obstetrícia ou especialista em neonatal é imprescindível à equipe transdisciplinar, com campo de atuação em maternidades, unidades de internação e ambulatórios. Sua atuação contribui na melhora da funcionalidade, diminuição de períodos de internação e na qualidade de vida dos bebês e das mulheres no período da gravidez e no pós-parto.

6 – Quais os principais recursos de avaliação e atendimento nessa especialidade?

As principais técnicas e recursos fisioterapêuticos são cinesioterapia, eletroterapia, termoterapia, terapia manual, reeducação postural, ginástica hipopressiva, técnicas de relaxamento, e técnicas da fisioterapia pélvica como a massagem perineal, eletroestimulação endovaginal, biofeedback e terapia comportamental. Além de orientações específicas relacionadas ao movimento, postura e a amamentação, que previnem e tratam complicações circulatórias, respiratórias, musculoesqueléticas e relacionadas à amamentação.
Para tanto, é importante o profissional fisioterapeuta conhecer os mecanismos fisiopatológicos para uma melhor indicação e aplicação dos possíveis recursos, a partir de uma avaliação minuciosa, do diagnóstico cinético-funcional e da utilização de recursos baseados em evidências científicas.

7 – Como o fisioterapeuta deve se preparar para trabalhar com o período puerpério da mulher? Se trata de um mercado promissor?

Diversas modificações ocorrem no corpo da mulher após o parto. Além das alterações físicas o profissional deve se atentar para as alterações emocionais que ocorrem nessa fase. Uma avaliação detalhada tanto física quanto emocional é muito importante estar presentes na anamnese. A humanização do atendimento com o foco na experiência da cliente faz total diferença na atuação profissional e no sucesso do trabalho.
O objetivo do fisioterapeuta é ajudar a mulher a restaurar e retornar os sistemas ao estado muito próximo ao pré-gravídico.
Otimizar ao máximo sua funcionalidade, tratando os desconfortos e disfunções que possam ter persistido ou surgido, decorrentes do parto ou da gestação. Deve ser enfatizado o estímulo à prática de exercícios físicos, melhora da função muscular, postural, urinária, além das demandas da amamentação. É uma atuação ampla e, ao mesmo tempo, específica, que demanda uma série de habilidades e competências do profissional.
O fisioterapeuta especialista em uroginecologia e obstetrícia vem ganhando bastante destaque, principalmente pelo aumento do interesse das mulheres em partos humanizados, ajudando no fortalecimento da região pélvica para o momento do parto. Com o amplo acesso à informação, mais pessoas estão compreendendo o papel desse profissional e buscando seus serviços para cuidar da saúde.

Jeanne Carvalho – Fisioterapeuta
Instagram: @jeannegcarvalho
Site: www.neonascer.com.br