Prefeito de Belo Horizonte veta projeto de lei que garante fisioterapeutas nas maternidades

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, vetou, nesta sexta-feira (18), o importante Projeto de Lei nº 870/2019, que assegura a inclusão de fisioterapeuta na equipe multidisciplinar de atenção à gestante durante o período do pré-natal, parto e pós-parto. Tal decisão é um total desrespeito do direito à saúde das mulheres belo-horizontinas em um momento tão delicado de suas vidas, que é o período gestacional.

O fisioterapeuta atua em todo o ciclo gravídico-puerperal, com ampla comprovação científica dos benefícios da respectiva assistência à vida e saúde da gestante e do nascituro. Por entender que toda parturiente tem o direito à assistência fisioterapêutica e que o profissional é imprescindível para um período gestacional saudável e inclusive para evitar complicações no parto, e que o veto do executivo municipal representa uma grave negação de direito de serviços de saúde dignos a essas mulheres, o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 4ª Região (CREFITO-4 MG) já está articulando contato com os vereadores mineiros para garantir a derrubada do veto pela Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) . O conselho convoca também os fisioterapeutas a mineiros para esta ação, para que juntos possamos garantir a aprovação desse importante projeto de lei.

Estamos diante de um projeto inédito em Minas Gerais, que, caso transformado em lei, se tornará referência para discussão de matérias semelhantes em outros municípios mineiros. Não podemos deixar o veto passar. O PL 870/19 foi aprovado em dois turnos por ampla maioria dos parlamentares da CMBH. Logo, deve ser cobrada coerência dos vereadores na análise do veto.

Confira os e-mails e telefones dos parlamentares e encaminhe sua mensagem solicitando a derrubada do veto: www.cmbh.mg.gov.br/vereadores (acesse pelo stories)

#PorMaisFisioterapeutasNasMaternidades #Fisioterapia #Maternidade #DerrubaOVetoVereadores