A Associação Brasileira de Fisioterapia Aquática (ABFA) divulgou, nesta quarta-feira (6), nota oficial com recomendações aos profissionais para plano de retomada gradual dos serviços de Fisioterapia Aquática no Brasil diante do atual momento de pandemia do novo coronavírus.

Dentre as orientações estão:
- Grupos de risco e infectados continuam em quarentena domiciliar;
- Uso generalizado de máscaras eficientes, já mencionadas neste documento, com troca constante (evitando que a mesma umedeça), óculos de proteção ou o uso protetores faciais;
- Iniciar o processo de reabertura gradual das atividades segundo os critérios da essencialidade
- Esclarecer para todos os funcionários os protocolos a serem seguidos caso alguém apresente sintomas ou teste positivo para a Covid-19;
- Atividades com horários diferenciados de acordo com cada região do país e o porte de cidade. A realidade local deve ser levada em conta;
- Ao retornar, as atividades devem respeitar protocolos de convivência e de distanciamento social voltadas ao combate da Covid-19;
- Limitar a quantidade de clientes que entram na piscina: ocupação simultânea de 1 cliente a cada 4 m² (piscina e vestiário);
- Após o término de cada intervenção fisioterapêutica individual, higienizar as escadas, balizas e bordas da piscina, bem como todos os materiais, acessórios, flutuadores e dispositivos auxiliares utilizados durante os atendimentos;
- A higienização dos vestiários deverá ser realizada imediatamente após o uso, utilizando produtos já estipulados como o álcool 70%, água sanitária (2%-2,5%) e desinfetantes como, para que o próximo pacientes possa utilizá-lo com segurança.
- A cada 7 dias a situação da epidemia deve ser reavaliada e, com isso, os protocolos relaxados ou intensificados.

Leia na íntegra a nota com as demais recomendações:
https://is.gd/72rmbK

ASCOM/CREFITO-4 MG