Terapeuta Ocupacional participa de audiência pública

 

 

01/09 - Terça-feira

Terapeuta Ocupacional participa de audiência pública na ALMG

A Terapeuta Ocupacional do Centro de Atenção Psicossocial - Álcool e Outras Drogas (Capes AD III) de Oliveira/MG, Dra. Petrina Carvalho de Oliveira, participou na tarde desta terça-feira (1), de audiência pública da Comissão de Prevenção e Combate ao Uso de Crack e Outras Drogas da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Na ocasião, foi discutido assuntos como o significativo aumento no consumo de crack nos pequenos municípios do Estado e a desativação do projeto Território Aliança pelo Governo Estadual, que foi apontada por diversos representantes de entidades como sendo um grande gargalo na continuidade do tratamento de viciados em drogas nos municípios mineiros.

De acordo com a Dra. Petrina, a falta de funcionamento dos conselhos municipais, a falta de serviços mais efetivos com relação a dependência química, a desestruturação familiar e leis fracas são alguns dos vários motivos para o significativo aumento do consumo de crack nos municípios, segundo um levantamento, realizado em 2012 pela Confederação Nacional de Municípios (CNM). Sobre a desativação do projeto Território Aliança, ela afirmou que foi uma perda muito grande para a população. “O projeto tinha profissionais competentes e comprometidos com o trabalho junto as pessoas em situação de rua. Faziam um trabalho humano com abordagem social e suporte as famílias. Esperamos que nasça outro projeto igual ou melhor”, avaliou a terapeuta ocupacional.

O projeto Território Aliança, que fazia parte do Programa Aliança pela Vida, foi inspirado no Consultório de Rua do Ministério da Saúde e prestava atendimento às pessoas em situação de rua. O atendimento era feito por equipes formadas por enfermeiros, assistentes sociais e técnicos, em cenas de uso ou residências objetivando a construção de possibilidade de acesso a serviços para os usuários e população de rua, além da interação e suporte as famílias. As ações eram realizadas por meio de abordagem social, intervenções de promoção da saúde, encaminhamentos e acompanhamento das ações empreendidas junto a usuários de álcool e outras drogas em situação de vulnerabilidade pessoal e social.

Antes do início da audiência, a Comissão aprovou cinco requerimentos para a realização de audiências públicas e visitas. De autoria do deputado Antônio Jorge, duas audiências, uma em Itaúna (Centro-Oeste) e outra em Juiz de Fora (Mata), para discutir medidas de enfrentamento ao uso de drogas e o papel das comunidades terapêuticas no município.

ASCOM/CREFITO-4
ascom@crefito4.org.br