Presidente do CREFITO-4 reforça posição contra EaD e se desliga de faculdade em que lecionava

Dr. Anderson Coelho tomou decisão após instituição de ensino anunciar em seu site vagas para o curso de Fisioterapia na modalidade EaD / semipresencial, a partir deste semestre. Coordenador e diretora do Conselho tomaram decisão semelhante.

Em respeito aos profissionais da área da saúde e, principalmente, aos pacientes que são por eles atendidos, o presidente, a diretora-secretária, o coordenador do departamento de fiscalização e o conselheiro do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 4ª Região (CREFITO-4), respectivamente, Dr. Anderson Coelho, Dra. Flávia Massa, Dr. Diego Openheimer e Dr. Hugo Goretti, solicitaram, ontem (26/2/19), voluntariamente, o desligamento do quadro de docentes da instituição de ensino na qual faziam parte após a referida faculdade manifestar-se pela implementação da metodologia de ensino na modalidade ensino a distância (EaD)/semipresencial para os cursos de fisioterapia.

A movimentação dos fisioterapeutas e docentes surge como exemplo prático e coerente da posição ideológica do CREFITO-4 que se manifesta veementemente contrário à precarização da formação profissional adotada por meio da prática de ensino a distância nos cursos de graduação das áreas de saúde. Desde 2016, o conselho lidera iniciativas visando à proibição de tal modalidade de ensino, tendo como ponto de partida a apresentação de uma sugestão de Projeto de Lei ao então deputado federal e hoje senador por Minas Gerais, Rodrigo Pacheco. O PL nº 5.414/2016, que altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação para proibir cursos de graduação na saúde por EaD tramita atualmente na Câmara dos Deputados, já em fase final para votação.

Segundo dados do e-Mec, no ano de 2003, as vagas de EaD no País representavam 1,3% das matrículas da graduação em geral (49 mil alunos). Somente na área da saúde, no período de novembro de 2016 a outubro de 2017, houve um aumento de 141% nas vagas de cursos a distância, que passaram de 218 mil para 527 mil. Até abril de 2018, o número já havia saltado para 657 mil vagas. Nos cursos de fisioterapia, a quantidade de vagas ofertadas saiu de 5.700 em fevereiro de 2017 para 33.149 em outubro do mesmo ano. As vagas de EaD são basicamente oferecidas pelas instituições privadas.

Em carta de desligamento enviada, nesta terça-feira (26), à coordenação da instituição de ensino, Dr. Anderson Coelho justificou sua posição a fim de manter coerência entre as ideologias pregadas como gestor público - no cargo de presidente do CREFITO-4 - e suas ações na vida privada: “Por questões ideológicas e principiológicas, principalmente por acreditar que a formação da relação fisioterapeuta-paciente precisa do contato real desde o início da graduação, o exemplo dos docentes, da relação estreita entre teoria e prática, objetivando a formação do perfil profissiográfico humanista, ético e capacitado para atender às necessidades reais de saúde da população e principalmente protegendo a vida humana, solicito imediato desligamento do quadro de docentes dessa instituição”, enfatiza.

ASCOM/CREFITO-4