PROJETO APOIADO PELO CREFITO-4 É DEBATIDO EM AUDIÊNCIA PÚBLICA

Idealizado por acadêmicos de Fisioterapia da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais sob orientação da coordenadora do curso, Dra. Janaine Polese (também integrante da Comissão de Saúde Funcional do CREFITO-4) e apoiado, desde sua criação pela autarquia mineira, o Projeto de Lei 415/17, que propõe a criação do Banco Municipal de Órteses, Próteses e Meios Auxiliares de Locomoção para atendimento às pessoas com deficiência física, foi debatido, na tarde desta quarta-feira (8), em audiência pública, na Câmara Municipal de Belo Horizonte. O PL foi apresentado pelo vereador Pedro Bueno.

Durante o debate, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, representantes do poder público e acadêmicos, reconheceram a importância do projeto para pacientes de Belo Horizonte, principalmente pela a diminuição do tempo de espera na entrega e na criação das órteses e próteses. Segundo os estudantes, criadores do projeto, “a intenção é que o banco seja aberto para consulta em toda a rede de atendimento do SUS, de forma que os profissionais possam cruzar os dados de seus pacientes com as informações sobre as órteses, próteses, cadeiras de rodas e outros dispositivos já disponíveis”.

O presidente do CREFITO-4, Dr. Anderson Coelho, que esteve presente na audiência parabenizou mais uma vez a iniciativa dos acadêmicos e afirmou a importância da medida para o atendimento às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. “Ações como essa implicam a população no planejamento das políticas públicas e auxiliam o Poder Público na execução”, salientou.

Acompanha a tramitação do Projeto de Lei 415/17 na Câmara: https://is.gd/MqRetC

ASCOM/CREFITO-4