II Fórum de Saúde Pública debate políticas públicas no SUS

Visando a discutir o panorama atual das políticas públicas na área da saúde e a inserção dos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais na rede pública do estado, o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 4ª Região (CREFITO-4), por meio da Comissão de Saúde Pública da autarquia, realizou, neste sábado (7), a 2ª edição do Fórum de Saúde Pública. O evento, voltado para profissionais e gestores do Sistema Único de Saúde (SUS), foi realizado no auditório do Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais (COREN-MG). Estiveram presentes o presidente do CREFITO-4, Dr. Anderson Coelho, e a vice-presidente do conselho e integrante da referida comissão, Dra. Álida Andrade, além dos demais membros da diretoria do conselho – Dra. Flávia Massa, diretora-secretária, e Dr. Hermann Rodrigues, diretor-tesoureiro.

Durante o encontro, palestrantes fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, referências em saúde pública, abordaram temas a fim de explorar os campos de atuação e as políticas de inserção dos profissionais no SUS. O fórum também proporcionou uma ampla discussão sobre o papel do gestor na definição das categorias profissionais e as estratégias necessárias para uma formação acadêmica de qualidade dos profissionais que irão integrar a rede de saúde pública.

Ao final do evento, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas gestores em saúde pública apresentaram aos colegas suas vivências profissionais exitosas no SUS e os métodos utilizados para o sucesso do trabalho. Relataram suas experiências a Dra. Anelise Prates, do Núcleo de Assistência às Famílias (NASF); Dra. Thaís Noronha, do Centro Especializado em Reabilitação (CER); Dr. Flamareon Macieira Passos, responsável pelo trabalho em saúde mental na rede pública; e Dra. Wivian Dornelas, responsável pelo trabalho hospitalar desenvolvido na rede pública.

Com ampla participação dos profissionais, o II Fórum de Saúde Pública é mais um evento de sucesso do CREFITO-4. A Comissão de Saúde Pública do conselho, em parceria com a atual gestão, tem trabalhado ativamente na elaboração de mecanismos que aumentem a demanda do fisioterapeuta e terapeuta ocupacional no Sistema Único de Saúde, bem como ações que proporcionem melhor prestação de serviços à população mineira.

Depoimentos:
“É importante a gente discutir o panorama do SUS e como inserir o fisioterapeuta e terapeuta ocupacional nas diferentes redes temáticas, fazendo com que o gestor entenda a importância e a necessidade desses profissionais na sua equipe”.
Dra. Álida Andrade - vice-presidente do CREFITO-4 e integrante da Comissão de Saúde Pública do conselho.

“É muito bom o usuário entender o que a gente quer alcançar no tratamento dele, na maioria das vezes, ele não é informado sobre isso. O paciente precisa saber que o tratamento dele terá começo, meio e fim”.
Dra. Odília Brígido de Souza - coordenadora de Saúde da Pessoa com Deficiência do Ministério da Saúde.

“O hospital sempre será um elo da sociedade como um todo. Nem mais nem menos importante que o outro sistema de saúde. Por isso, é importante ter o gestor com uma escuta qualificada para fazer a equipe multiprofissional funcionar”.
Dra. Yara Cristina Ribeiro - diretora do Hospital Municipal Célio de Castro.

“É importante valorizar a figura do preceptor no sistema de saúde pública. Ele é quem dará o tom de como o trabalho será desenvolvido”. Dra. Fabiane Ferreira - coordenadora do curso de fisioterapia da UFMG.

“É preciso que o terapeuta ocupacional produza mais artigos e disponibilize mais evidências sobre sua área. É importante termos um maior número de profissionais terapeutas ocupacionais no mercado para que possamos ter mais força para defender a classe”.
Dra. Flávia Campos - integrante da Comissão de Saúde Pública do CREFITO-4.

ASCOM/CREFITO-4